IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

sábado, 24 de setembro de 2016

Resultado da Quina 4192, sábado, 24/09/2016

Resultado da Quina 4192, sábado, 24/09/2016

O RESULTADO DA QUINA 4192 SERÁ DIVULGADO NO GIGA-SENA DIA 24/09/2016, SÁBADO, A PARTIR DAS 20:00 HORAS.

A Quina 4192 ocorrerá no dia 24 de setembro de 2016 e o prêmio principal está estimado em R$ 3.000.000,00 para quem acertar o resultado da Quina 4192. Quem acertar a QUADRA com 4 números, o TERNO com 3 números ou o DUQUE com 2 números também ganha prêmio de menor valor. Se não houver nenhum ganhador com 5 números no resultado da Quina concurso 4192 o prêmio principal acumula para o próximo concurso da Quina.
Os valores de cada prêmio da Quina 4192 serão informados no painel de resultado do GIGA-SENA após o rateio.
CONCURSO 4192 DATA 24/09/2016
01
14
32
53
61
 
QUINAQUADRATERNODUQUE
prêmio
0,008.784,82141,662,80
ganhadores
x 0x 48x 4.476x 124.200
ACUMULOU!
Próximo Sorteio: 26/09/2016Prêmio Estimado: R$ 3.700.000,00
[AVISO] A QUINA AGORA PAGA 2 ACERTOS!

Milho verde é saúde...

O milho verde está constantemente presente nos cardápios.

Ingrediente de pratos como pamonha, curau, bolo e até mesmo cozido com manteiga, o milho é aliado da saúde. O cereal, de origem mexicana, é atualmente um dos mais produzidos no mundo. Segundo a nutricionista Sofia Sesti, ele é nutritivo e rico em fibras, por isso auxilia no funcionamento intestinal e no controle do colesterol, além de aumentar a sensação de saciedade. O grão também é fonte de carboidrato, contém minerais, vitamina E, B1 e B2.
Além disso, o milho auxilia a manutenção memória.


“O cereal possui vitamina B1, conhecida como tiamina, responsável por participar dos impulsos nervosos que fazem as transmissões entre neurônios e aprimoram a memória humana”, explica Sofia. Outro ponto a favor do milho é que ele não possui glúten e pode ser consumido por celíacos.


O milho é rico em vitamina A, antioxidantes, vitaminas do complexo B e vitamina C. Age combatendo o envelhecimento precoce, atua sobre o sistema nervoso e no funcionamento da tireóide e ajuda na absorção de ferro pelo metabolismo.


Dentre os vários benefícios do milho, temos:

Previne a ação dos radicais livres;
Auxilia no bom funcionamento intestinal;
Reduz os níveis de colesterol;
Reduz os níveis de glicose no sangue;
Previne problemas cardiovasculares;
Fonte de betacaroteno, fibras e vitaminas;
Auxilia a metabolizar gordura mais rapidamente;
Auxilia no tratamento de prisão de ventre, pois melhora o trânsito intestinal e acelera a digestão;
A vitamina A presente no milho proporciona mais brilho e vitalidade para a pele, as unhas e os cabelos;
O “cabelo de milho” presente nas espigas tem ação diurética, auxilia a eliminação do excesso de ácido úrico.

O milho pode ser consumido in natura, em cereais matinais, mingaus, tortas, canjica, cuscuz, polenta, pamonha, curau, creme de milho, pipoca, etc. O milho cozido é rico em fibras, e para não elevar muito o valor calórico, é indicado consumir com um pouco de sal apenas. A pipoca é um alimento muito nutritivo, mas deve ser consumido moderadamente, na medida de aproximadamente uma xícara de chá. A parte branca da pipoca é rica em amido resistente, que é bom para o intestino e para diminuir o nível de açúcar no organismo; e a casca é rica em antioxidantes. O milho de canjica pode ser preparado com leite desnatado e adoçante. O óleo de milho é rico em gorduras poli-insaturadas, que são benéficas ao coração. O valor calórico do milho depende de como é consumido.


Confira a seguir a quantidade de calorias presentes em 100g dos seguintes alimentos:

Milho verde: 129 calorias
Milho em lata: 109 calorias
Amido de milho: 381 calorias
Milho para canjica: 371 calorias
Milho para pipoca: 362 calorias
É importante lembrar que o milho em conserva é rico em sódio e pobre em nutrientes por causa do processo de conservação. Uma opção é cozinhar a espiga de milho e congelar em pequenas porções.

Sementes do bem para seu dia a dia...

Sementes do bem para seu dia a dia...

Algumas dessas sementes já foram abordadas individualmente aqui no nosso blog, mas resolvi fazer um post, com os benefícios gerais das que são mais comum de encontrarmos por aí.
É importante saber quais benefícios elas vão trazer para nós e o quanto devem ser consumidas para conseguir esses benefícios sem prejudicar a saúde.

Esses alimentos ajudam a enriquecer nossa dieta. Eles auxiliam na diminuição do peso, do colesterol, de inflamação como celulite, regulam o trânsito intestinal e aumentam a massa magra. São indicados para quem tem sobrepeso, obesidade, prisão de ventre, colesterol alterado, celulite ou simplesmente quer melhorar a alimentação.

Para que façam efeitos positivos no organismo, o ideal é acrescentá-los diariamente nas refeições. A quantidade vai depender de indivíduo para indivíduo, mas em média uma colher de sopa por dia.

Gergelim: possui grande quantidade de proteínas, gorduras e carboidratos, sem falar nas fibras e nos lipídios, importantes na redução do colesterol do sangue, com propriedades anticancerígenas e antioxidantes. Também possuem alto teor de cálcio, fósforo e ferro e são ricas em vitaminas do complexo B.


As sementes de gergelim são ricas em manganês, cobrene cálcio, contêm Vitamina B1 e Vitamina E. Elas também contém fitoesteróis, que bloqueam a produção de colesterol. Os nutrientes do gergelim são melhor absorvidos se triturados antes do consumo. Contêm uma grande variedade de princípios nutritivos de grande valor: lípidos, ácidos graxos insaturados, lecitina, proteínas, vitaminas (E, B1 e B2) minerais e oligoelementos.

O gergelim é ideal para quem procura boa forma ou mesmo uma dieta equilibrada, pois ele possui grande quantidade de fibras, o que auxilia no bom funcionamento do intestino.

Semente de abóbora: Antioxidante, melhora a saúde, cabelos, unhas, mucosas e olhos. Tem o triptofano (nutriente) que da a sensação de bem estar (saciedade), de prazer, melhorando humor e depressão. Protetoras para os homens, pois reduzem 40% a chance de morte prematura, diminui a chance de câncer de próstata. Equilibra a pressão arterial.Encontramos em duas formas: com casca e sem casca.


Os benefícios são praticamente os mesmo, porém, a com casca deve ser evitada para as pessoas com hipertensão porque elas são salgadas e também não é muito indicada para quem tem intestino preso porque as fibras da semente de abóbora com casca são mais densas e acabam fermentando. A semente crua é muito mais benéfica que a torrada. Recomendação: 2 a 3 colheres de sopa/dia (30g/dia). Pode utilizar 1colher de sopa no almoço e 1 no jantar ou nos intervalos entre as refeições.

Quinoa: Não possui glúten sendo ideal para as pessoas que tem a doença celíaca. Faz bem para o SN (evita mal de Parkinson, Alzheimer e outras doenças degenerativas, melhorando assim a memória e aprendizagem). Fortalece o sistema imunológico, aumenta a ação de enzimas que combatem os radicais livres (retarda o envelhecimento), favorece o crescimento e fortalecimento dos cabelos, ajuda no controle da TPM, ajuda no controle da pressão arterial.


Antes de consumir precisa ser lavadas porque contêm uma substância antinutricional (tira as propriedades da quinoa) que são as saponinas que dão um sabor amargo.
Recomendação: 1/4 a 1/2 xícara de chá/dia (1/4 xíc de chá = 45g).

Linhaça: Temos 3 tipos: Marrom, Dourada, e Dourada em forma de Farelo. Todas têm praticamente os mesmos benefícios.
A marrom é mais crocante e um pouco mais amarga. A dourada em forma de farelo deve ser consumida para quem quer extrair os benefícios funcionais, ou seja, bem estar específico para os tratamentos. Para quem tem constipação intestinal à linhaça dourada em farelo é melhor porque já vem com a fibra moída e com isso o intestino aceita melhor.

Benefícios gerais: Auxilia no tratamento da menopausa (diminui- tensão, calores, fermentação), sensação de bem estar promove saciedade Protege contra o câncer de mama. Equilibra os níveis de açúcar no sangue, reduz o “colesterol ruim” LDL, combate anemia e melhora a constipação intestinal.
Melhor forma de consumir é do jeito que compramos para não estragar as propriedades.
Recomendação: 1 a 2 colheres de sopa/dia (30g).

Amaranto: É um alimento tão completo que nutricionalmente assemelha-se á combinação arroz com feijão. Possui proteínas e aminoácidos que são essenciais para o organismo. O amaranto é capaz de reduzir a pressão arterial, colesterol e melhorar o funcionamento do intestino.


A grande concentração de esqualeno em sua composição, substância somente encontrada em quantidades significativas nos óleos de fígado de animais marinhos, é uma característica singular do amaranto. Suas propriedades naturais incluem a ação antioxidante, no combate aos radicais livres, aumento da oxigenação do metabolismo e fortalecimento da membrana celular, auxiliando na melhora do sistema imunológico devido à proteção das células.

O amaranto é também indicado na nutrição preventiva, aquela que tem por objetivo evitar doenças e melhorar a qualidade de vida. O amaranto é fonte de vitaminas e minerais importantes como o Cálcio, Ferro, Fósforo, Potássio, Zinco e Vitaminas do Complexo B e Vitamina E.



Fontes bibliográficas:

http://belezaesaude.com/

http://www.rqueiroznutri.com.br/

Graviola: propriedades e benefícios para a saúde...

Considerada como “a fruta da família”, a graviola é um fruto com sabor e aroma adocicados, que exerce inúmeros benefícios para auxiliar na conservação da saúde. Vamos descobrir algumas das vantagens de consumir a graviola?


A graviola (Annona muricata) é uma fruta originária de regiões tropicais do Peru, Equador, Colômbia e alguns países da América Central. A árvore se adapta bem em climas predominantemente tropicais quentes, devido a isto, é comum seu cultivo na região da Floresta Amazônica e principalmente na região nordeste do Brasil.

Conhecida popularmente como fruta-do-conde, jaca-do-Pará, guanábana, dentre outras denominações, a graviola é considerada como uma planta medicinal, devido à suas propriedades terapêuticas. Seu uso para fins medicinais data de séculos, iniciado a princípio por tribos indígenas que habitavam a Floresta Amazônica e regiões do Caribe.

A fruta apresenta um excelente perfil nutricional que conta com antioxidantes, vitaminas (vitamina B1, B2 e C), minerais (zinco, cálcio, magnésio, sódio, potássio e fósforo), frutose, carboidratos e proteínas dietéticas.

Benefícios da graviola:

Graviola pressão alta – pressão arterial: por ser uma fruta que apresenta propriedades diuréticas, a graviola auxilia no controle da pressão arterial. A fruta também é fértil em potássio, mineral que contribui para a melhora da circulação sanguínea, influenciando a redução da pressão arterial.

Graviola câncer: apesar de não ser cientificamente comprovado, a graviola pode apresentar propriedades anticancerígenas e antitumorais, que auxiliam no tratamento contra o câncer. Pesquisas indicam também que a graviola contém substâncias que ajudam a impedir o desenvolvimento de células cancerígenas.

Graviola benefícios para a pele: por ser uma fonte abundante de vitamina C, a graviola é considerada como um ótimo alimento para beneficiar a pele. A vitamina C é um forte agente antioxidante e anti-inflamatório, que contribui para a manutenção de uma pele mais macia, firme, suave, jovial e sem manchas ou sinais de expressão.

Graviola benefícios para a diabetes: devido à suas atividades anti-hiperglicêmicas e antioxidantes, a graviola pode auxiliar na prevenção e no tratamento do diabetes. O fruto é rico em fibras que ajudam a impedir que os níveis da glicose (açúcar), aumentem rapidamente no sangue. Além disso, a graviola contém fibras dietéticas que beneficiam a digestão e o controle dos níveis glicêmicos.

Graviola benefícios para dores: a fruta apresenta propriedades anti-inflamatórias, antireumáticas e atividades que reforçam as funções imunológicas, por isto o consumo da graviola pode beneficiar o tratamento contra dores articulares, inflamações e dores estomacais.

Por ter um sabor deliciosamente adocicado e levemente ácido, a graviola pode ser consumida em forma de sucos, sovertes, fresca (in natura) e chás (folhas do fruto), além do fato de poder aproveitá-la de forma geral, pois a graviola pode ser consumida totalmente, desde suas sementes, flores, folhas, raiz e frutos.

Graviola contraindicações:

Apesar de apresentar diversos benefícios à saúde, a graviola não deve ser consumida por gestantes, pois possui efeitos abortivos. Portanto, mulheres grávidas não são aconselhadas a consumir graviola, devido ao risco de sofrer aborto. Em caso de dúvidas, consulte seu médico ou um nutricionista.

Arroz com feijão engorda ou não?

Arroz e feijão é uma excelente combinação na alimentação porque as proteínas que existem no feijão completam as proteínas que faltam no arroz ficando, assim, uma refeição mais equilibrada.

Quando se come arroz e feijão a proteína fica completa e, por isso, pode-se dizer que equivale a uma porção de carne. Os aminoácidos são os constituintes da proteína e no arroz e feijão os aminoácidos se completam, pois o arroz é pobre no aminoácido lisina que existe em grande quantidade no feijão, já o aminoácido metionina é pobre no feijão, mas está em grande quantidade no arroz, por este motivo, arroz e feijão formam um par perfeito.

Arroz e feijão são, de fato, uma dupla inseparável devido à riqueza de nutrientes. Aminoácidos que um não tem o outro possui, por exemplo. Esses alimentos se complementam. Segundo a Embrapa, um prato de arroz com feijão garante a absorção de mais de 80% da sua proteína.

Para usufruir dos seus benefícios, adote a proporção 3 para 2, isto é, 3 colheres de sopa de arroz para 2 de feijão. Assim, você obtém nutrientes em perfeito equilíbrio. E em matéria de calorias, ambos somam 239 (1 colher de sopa de arroz contém 41 e 1 de feijão, 58). A dupla não compromete as formas de ninguém!

O arroz é campeão em vitaminas do complexo B:

B1: garante o bom funcionamento do sistema nervoso e muscular e do coração;
B2: importante para olhos, células nervosas e metabolismo de carboidratos, das gorduras e das proteínas;
B3: fundamental para manter a pele saudável, o sistema nervoso e o aparelho digestivo em bom funcionamento, além de contribuir para a diminuição do colesterol.
O alimento possui ainda fibras e metionina – aminoácido que ajuda a processar gorduras e preservar a função hepática. Segundo a Embrapa, os aminoácidos do arroz são mais nutritivos que os de outros cereais, como milho e trigo, e o alimento concentra menos de 1% de gordura.

O feijão também é fonte de vitaminas B1, B2, B3 e, ainda, de B9. Esta última colabora para o bom funcionamento do sistema nervoso e da medula óssea. Possui sais minerais – como potássio, ferro, fósforo, cálcio, cobre, zinco e magnésio – e lisina, aminoácido essencial (aquele que o corpo não produz, mas é necessário ao organismo), que contribui para o crescimento de crianças e adolescentes e para a restauração de tecidos.

Faça o consumo diário dessa combinação, pois como tudo que alimentamos, sem exageros, não vai engordar de forma alguma.



Fonte bibliográfica:

http://mdemulher.abril.com.br/

http://www.tuasaude.com/

http://www.einstein.br/

Açafrão da terra ou cúrcuma longa…O açafrão-da-terra (Curcuma longa)...

O açafrão-da-terra (Curcuma longa), conhecido também como cúrcuma, turmérico, açafrão-da-índia, açafroa e gengibre amarelo, é uma planta herbácea da família do gengibre (Zingiberaceae), originária da Ásia (Índia e Indonésia). Dela se obtém uma especiaria homónima que é o principal componente do tempero pó de caril. Sua característica principal é a forte cor amarela que transfere aos alimentos.

Da sua raiz seca e moída se extrai o pó, conhecido simplesmente por açafrão, utilizado como condimento ou corante de cor amarela e brilhante, na culinária e no preparo de medicamentos.
É uma planta perene com ramificações laterais compridas. A parte utilizada da planta é o rizoma (caule parcialmente ou totalmente subterrâneo, horizontal, com reservas, capaz de formar raízes, folhas e flores/fruto), que externamente apresenta uma coloração esbranquiçada ou acinzentada e internamente amarelada. Do rizoma saem as folhas e as hastes florais. Reproduz-se por pedaços do rizomas que apresentam gemas (olhos) com plantio em solo argiloso, fértil e de fácil drenagem. Depois da planta adaptada ao local, alastra-se, pois o rizoma principal emite numerosos rizomas laterais. É uma planta difícil de ser destruída. A colheita deve ocorrer na época em que a planta perde a parte aérea, depois da floração. Nesta fase, os rizomas apresentam pigmentos amarelos intensos.
acafrao3
O açafrão também tem sido empregado para fins medicinais, há séculos. Historicamente foi utilizado no tratamento do cancro e de estados depressivos. Tais aplicações têm sido pesquisadas atualmente. Efeitos promissores e seletivos contra o câncer têm sido observados in vitro e in vivo, mas não ainda em testes clínicos. Efeitos antidepressivos também foram encontrados in vivo e em estudos clínicos preliminares. Há portanto interessantes perspectivas de uso dos extratos de açafrão na fitoterapia racional.

Usado para colorir laticínios, bebidas e mostarda, em cozidos, sopas, ensopados, molhos, peixes, pratos à base de feijão, receitas com ovos, maioneses, massas, frango, batatas, couve-flor e até pães. Deve ser dissolvido em um caldo quente antes de ser incorporado a uma receita. É ingrediente essencial para acentuar o sabor e dar cor a muitos pratos da cozinha indiana, principalmente arroz.
Têm sido estudado os possíveis benefícios do consumo da cúrcuma para prevenção e tratamento do mal de Alzheimer  . Suspeita-se que seja mais eficaz se associado à vitamina D3  . A vitamina D pode ser obtida pelo organismo tanto após exposição ao sol quanto por suplementos de vitamina D3, ou por uma combinação de ambos.
Os benefícios do açafrão-da-terra seriam decorrentes da ação anti-inflamatória e antioxidante, pela remoção das placas no cérebro, características do mal de Alzheimer.
A ação benéfica da planta poderia contribuir para o tratamento do câncer e das doenças do coração.
O açafrão é mais comumente dedicado aos cuidados com a pele, devido às suas propriedades rejuvenescedoras e de tratamento da acne, mas poucos sabem que ele também auxilia no controle da diabetes e na prevenção de doenças como o Alzheimer. Outro fator importante e desconhecido é a prevenção à leucemia, impedimento do câncer de mama se espalhar, redução de inchaços e inflamações, fortalecimento do sistema digestivo, regulação do nível de açúcar no sangue, auxílio na circulação etc.
O Açafrão mostrou-se ser benéfico contra a gripe e do resfriado. um Copo de leite morno junto com açafrão é recomendado enquanto doente.
O Açafrão mostrou-se ser benéfico para os homens. Ele reduz a impotência, desinfeção erétil e ajuda na vida sexual.
O Açafrão é benéfico na manutenção da saúde dental. Ele contribui para tornar as gengivas forte, que reduz a inflamação e inchaço na boca.
O Açafrão ajuda na proteção dos rins contra doenças relacionadas e reduz o estresse renal.
O Açafrão tem sido benéfico para as mulheres que sofrem de TPM, uma vez que reduz o nível de cortisol e o estresse e aumenta o nível de estrogênio.

Fontes bibliográficas:
https://pt.wikipedia.org/wiki/
http://www.remedio-caseiro.com/
http://www.saudedica.com.br/

Pimenta dedo de moça – benefícios...

A pimenta-dedo-de-moça ou pimenta-chifre-de-veado é uma variedade da espécie Capsicum baccatum var. Pendulum, originária do Brasil. Possui ardência (pungência) e aroma suaves, sendo uma das pimentas mais famosas do Brasil.Apresenta frutos alongados com comprimento aproximado de 70 a 75 mm e diâmetro aproximado de 10 a 20 mm, de coloração verde quando imaturo e vermelho quando maduro. Com grau ardência 3 e Grau Scoville entre 1000 e 1500, é mais suave que a malagueta e ligeiramente mais picante que a jalapeño, podendo ser encontradana forma líquida, fresca, em conserva ou desidratada na forma de flocos com sementes, recebendo neste caso o nome de pimenta calabresa. É muito utilizada em molhos e numa grande variedade de pratos.

A pimenta-dedo-de-moça cresce em arbustos de até 2 m de altura, os quais devem ser podados regularmente. Sua folhas chegam a medir em torno de 190 x 120 mm e produzem pimentas verdes que atingem a cor vermelha em plena maturidade. São comumente colhidos quando atingem o comprimento aproximado de 70 mm.


É rica em vitaminas, anticancerígena, afrodisíaca, analgésica, antiinflamatória, antioxidande e energética.
Controla o colesterol, ajuda a emagrecer, regula o estômago e o intestino, reduz enxaqueca e dor de cabeça.

A pimenta tem ótimos efeitos em casos de dores de cabeça, por exemplo e também alivia indigestão e dores musculares. Também possui outros nutrientes, como minerais, como ferro e vitaminas, como A e C, que são antioxidantes, por isso, previnem várias doenças (até câncer!) e infecções e também o envelhecimento precoce. Estimulam a circulação sanguínea e garantem uma melhor visão, cabelos e unhas fortes, menos resfriados e gripes, etc.


A pimenta possui valor calórico insignificante, pode ser consumida in natura, nos temperos de diversos pratos e também em conservas. Apenas 3g de pimenta por dia, já garantem que a pessoa usufrua de seus benefícios.

Obs.: Apesar de benéfica, seu consumo deve ser moderado, pois, em excesso, pode causar sudorese e elevar a pressão arterial.



Fontes bibliográficas:

http://natural.enternauta.com.br/

http://www.remedio-caseiro.com/

http://pt.wikipedia.org/wiki/

chuchu também tem benefícios... O chuchu (Sechium edule) é uma hortaliça-fruto, ou seja, um vegetal da categoria dos frutos; também é conhecido como machucho.

chuchu1 chuchu
O chuchu (Sechium edule) é uma hortaliça-fruto, ou seja, um vegetal da categoria dos frutos; também é conhecido como machucho, caiota (Açores) ou pimpinela (ilha da Madeira). Existe em abundância na ilha da Madeira, principalmente junto aos cursos de água (ribeiras e nascentes). Em países latinos é conhecido como Chayote, enquanto em países de língua inglesa é conhecido por christophene, vegetable pear, mirliton, choko, starprecianté, citrayota, chow chow (India) or pear squash.
Apesar de ser uma hortaliça, ou seja, poder ser cultivada na horta caseira, é considerada um fruto, tal como o tomate (devido ao fato de suas sementes estarem dentro, resultado da fecundação do óvulo da flor, envolvidas pela parte comestível).
Sua origem é atribuída à América Central em países como Costa Rica e Panamá. Foi registrada pela primeira vez pelo botânico Patrick Browne em 1756.
Segundo alguns historiadores, essa hortaliça-fruto já era cultivada no Caribe à época do descobrimento da América. É uma trepadeira herbácea da família das cucurbitáceas.
Era bem conhecida na antiguidade pelos astecas e tinha grande destaque entre as demais hortaliças cultivadas na época, devido ao seu sabor característico e bastante suave, podendo ser consumido durante o ano todo. De fácil digestão, rica em fibras e pobre em calorias, bom para um regime alimentar.
Na Madeira, é conhecida por pepinela ou pimpinela e faz parte da gastronomia local, sendo normalmente cozida com feijão com casca, batatas e maçarocas de milho para acompanhar pratos de peixe, normalmente caldeiradas.
Destaca-se por ser uma fonte de potássio e fornecer vitaminas A e C. O chuchu é uma Cucurbitácea, tal como o pepino, as abóboras, o melão e a melancia.
Do chuchu nada é desperdiçado: pode-se consumir as folhas, brotos e raízes da planta, depois de devidamente lavados. Os brotos refogados são ricos em vitaminas B e C e sais minerais como cálcio, fósforo e ferro.
Possui uma grande gama de frutos quanto à forma, tamanho e cor. Estes podem ser arredondados ou terem a forma de pêra, mais comumente encontrada nas feiras e quitandas.
A casca pode ser lisa ou com espinhos, conforme a espécie, sua cor varia do branco ao verde bem escuro. No mercado há preferência pelos frutos de casca verde-clara, sem espinhos, com tamanho de 12 a 18 cm de comprimento (fruto graúdo) e 7 a 10 cm (fruto miúdo). Os frutos quando passados apresentam a casca sem brilho e amarelada e com a ponta mais larga começando a se abrir. Por ser um fruto muito frágil, machuca-se com facilidade e a casca escurece rapidamente quando danificada, portanto deve-se escolher os frutos com cuidado, evitando de ferí-los.
Pode-se encontrá-lo já descascado, cortado em cubos e embalado com filmes de plástico, ao natural ou pré-cozidos em mercados e locais de grande acesso público.
chuchu
Sempre deve-se certificar de que esse produto esteja exposto em gôndolas refrigeradas para garantir a sua adequada conservação, pois quando mantido em condição ambiente, estraga-se rapidamente. Os melhores preços de chuchu ocorrem entre os meses de junho a outubro.
Para conservá-lo, deve-se mantê-lo em condição ambiente entre 3 a 5 dias depois de colhidos, pois murcham muito rapidamente. Podemos conservá-lo por maior tempo entre 6 a 8 dias, na parte de baixo da geladeira, embalados em saco de plástico, caso contrário queimam-se com o frio pois são sensíveis a temperaturas baixas. O produto já descascado e picado conserva-se por até 3 dias após seu preparo, desde que mantido embalado em vasilha tampada ou em saco de plástico, na gaveta inferior da geladeira.
chuchu1
Para consumi-los não se deve comê-los crus, pois são duros para mastigar e quando os cortamos e o descascamos crus, deve-se fazê-lo em baixo de água corrente pois estes têm um líquido que gruda nas mãos. Podem ser cozidos e refogados, pode-se transformá-los em cremes, sopas, suflês, bolo ou salada fria. Para consumo como refogado ou salada, deve-se escolher os frutos mais novos e menores e com casca brilhante.
Quando os frutos estão maduros, com a parte de baixo se abrindo, são excelentes para a elaboração de suflês, pois são mais consistentes e têm mais fibra. A casca pode ser removida antes ou após o cozimento. Quando os frutos estão bem novos podem ser consumidos com casca e miolo.
Graças ao seu alto teor de fibras é um ótimo aliado de uma dieta de emagrecimento, já que aumenta a saciedade, favorece o bom trânsito intestinal, elimina as toxinas e tem pouquíssimas calorias. As fibras também ajudam a diminuir o colesterol ruim e aumentar o bom.
O alto percentual de água e potássio e o baixo de sódio fazem do chuchu um alimento diurético que ajuda a fazer o equilíbrio hídrico e manter os níveis controlados da pressão arterial, indicado para quem sofre com pressão alta.
Tem baixo índice glicêmico que, associado ao alto teor de fibras, faz dele um bom alimento para diabéticos. Os antioxidantes presentes no alimento combatem os radicais livres, prevenindo doenças relacionadas com o processo oxidativo do corpo, como as cardiovasculares, de ossos, de visão, cerebrais, envelhecimento precoce, etc. Melhora ainda o sistema imunológico e contribui para a beleza da pele, cabelo e unhas.
 Fontes bibliográficas:

Folhas do Bem... Vamos conhecer alguns vegetais que trazem inúmeros benefícios à nossa saúde?

venefícios à nossa saúde?


COUVE:

Couve é o nome vulgar, genérico, das diversas variedades cultivares da espécie Brassica oleracea L., (ou Brassica sylvestris (L.) Mill.) da família das Brassicaceae, a que também pertence o nabo e a mostarda. É uma planta muito utilizada como verdura na cozinha, para sopas (como a couve-galega para o caldo verde) e conservas (como o repolho para o chucrute), entre outros acompanhamentos, como a couve à mineira.


Contém fibras que aumentam a nossa sensação de saciedade. É pobre em calorias e por isso, ela é muito utilizada em dietas para redução de peso.

Ela é rica em glicosinolatos, que são fitoquímicos naturais com ação desintoxicante. Ou seja, estimula a limpeza de substâncias tóxicas do organismo.

Reduz o inchaço e melhora a textura da pele, principalmente da acne. É rica em vitamina A (RE), que age como um antioxidante. Os antioxidantes são responsáveis por combaterem os radicais livres que estão associados ao envelhecimento precoce da pele.

Deixa seus ossos mais fortes: a couve é rica em magnésio e cálcio na proporção ideal. Para melhorarmos a densidade óssea não basta somente o cálcio, precisamos também do magnésio (sem o magnésio o cálcio não exerce função dentro do osso)

O magnésio da couve é fundamental para a formação e o bom funcionamento dos nossos neurotransmissores, os quais são responsáveis por manter nosso bom humor. 

A couve é fonte de minerais do complexo B como a niacina (vitamina B-3), ácido pantotênico (vitamina B-5), piridoxina (vitamina B-6) e riboflavina.

As folhas e caules são boas fontes de minerais como ferro, fósforo, cálcio, cobre, manganês, selênio, potássio e zinco.

É também uma excelente fonte de vitamina E e proteína.


REPOLHO:

O repolho, subespécie da Brassica oleracea, grupo Capitata, é uma variedade peculiar de couve, constituindo um dos vegetais mais utilizados na cozinha, em diversas aplicações (sopas, conservas, acompanhamentos, massas, etc). É uma planta bianual, herbácea, da família das Brassicaceae ou crucíferas, as folhas superiores do caule aparecem encaixadas umas nas outras, formando o que é designado como uma “cabeça” compacta (daí o título de Capitata, dada ao grupo cultivar).

Este tipo cultivar formou-se por selecção a partir de espécies silvestres, mais semelhantes às couves-de-folhas do grupo Acephala (sem “cabeça”), originárias do Mediterrâneo, cerca do ano 100 d.C.. Entre as variedades que, por sua vez, comporta, podemos citar acouve-roxa (considerada também como fazendo parte de outro grupo: Capitata Rubra) e a couve-lombarda (que também se pode considerar do grupo Sabauda). A chamada couve-chinesa, semelhante ao repolho, pertence a uma espécie diferente, do géneroBrassica (Brassica rapa, var. pekinensis).

O repolho é usado cozido ou em saladas. Como se conservava facilmente, foi um vegetal particularmente utilizado antes da invenção da refrigeração como meio de conservação de alimentos frescos. O chucrute (onde se usa especialmente a variedade Krautman), constituído por repolho fermentado é um acompanhamento muito apreciado em determinadas culturas (não tanto nas mediterrânicas).


Uso medicinal – úlceras internas, abcessos, enfermidades do estômago, nevralgias faciais e dentárias, hemorróidas, tuberculose, gota, reumatismo, erisipela, distúrbios intestinais. Pode ser usado em cataplasmas em abcessos.
composição do repolho por 100g:

Calorias 25,0
Água 93,0 g
Carboidratos 4,3 g
Proteínas 1,4 g
Gorduras 0,2 g
Sais Minerais 1,1 g
Vitamina A 235 UI
Vitamina B1 110,0 mcg
Vitamina B2 60,0 mcg
Vitamina B5 0,4 mg
Vitamina C 41,3 mg
Fósforo 32,0 mg
Ferro 0,57 mg
Cálcio 53,0 mg
Potássio 247,0 mg
Sódio 27,0 mg
Enxofre 25,0 mg

RÚCULA:

A rúcula (Eruca sativa) – também conhecida como mostarda-persa – é uma verdura da mesma família que a mostarda, Brassicaceae, originária do Mediterrâneo e da Ásia Ocidental. Adapta-se em clima fresco, nem quente e nem frio. Tem um sabor muito forte, picante e amargo. É muito utilizada na Itália. No Brasil, a sua utilização começou nos estados meridionais, mas é atualmente popular no país inteiro.

Preparada crua, em saladas, ou refogada, é utilizada para complementar refeições devido ao seu sabor forte e capaz de eliminar o sabor de outros alimentos.

Com propriedades estimulantes do apetite, é nutricionalmente rica em proteínas, vitaminas A e C, e sais minerais, principalmente cálcioe ferro. Contém também ómega 3, mas é pobre em calorias.




ALFACE:


Alface (Lactuca sativa) é uma hortense anual ou bienal, utilizada na alimentação humana desde cerca de 500 a.C.. Originária doLeste do Mediterrâneo, é mundialmente cultivada para o consumo em saladas, com inúmeras variedades de folhas, cores, formas, tamanhos e texturas.

O valor energético da alface é baixo, pois seu conteúdo em água representa 96 por cento do seu peso.

A alface contém ferro, mineral com importante papel no transporte de oxigênio no organismo. É rica em fibras, que auxiliam na digestão e no bom funcionamento do intestino, além de apresentar pequenos teores de minerais como cálcio e fósforo.
Tabela NutricionalAlface crespa, crua
Quantidade 100 gramas
Água (%) 96,1
Calorias 11 Kcal
Proteína 1,3 g
Carboidrato 1,7 g
Fibra Alimentar 1,8 g
Colesterol n/a
Lipídios 0,2 g
Cálcio 38 mg
Fósforo 26 mg
Ferro 0,4 mg
Potássio 267 mg
Sódio 3 mg
Tiamina 0,11 mg
Riboflavina 0,12 mg



ALMEIRÃO:



O almeirão é uma planta medicinal, também conhecida como chicória-do-café, almeirão-selvagem, chicória, chicória-amarga, chicória-selvagem, muito utilizada para tratar problemas de fígado ou de intestino.
O seu nome científico é Cichorium intybus e pode ser comprada em lojas de produtos naturais ou farmácias de manipulação.


O almeirão serve para ajudar no tratamento de problemas do fígado e vesícula, apendicite, baço, inflamação do abdômen e problemas dos rins.

O almeirão é fonte de vitamias E e A, ferro, muita fibra e pequena quantidade de cálcio.
Essa verdura é usada em tratamentos do fígado, vesícula biliar e baço, pois ajuda a liberar o excesso de gordura, fumo e álcool. “Ele estimula a função hepática, principalmente a desintoxicação do fígado feita pelo componente que dá o sabor amargo”, afirma. Como a icterícia é provocada pelo mal funcionamento do fígado, a verdura também é recomendada no processo de cura dessa doença.

Outro papel funcional do almeirão é em relação ao colesterol. O consumo frequente auxilia na diminuição das taxas de colesterol.

AGRIÃO:



TIPOS → aquático, cultivado na água, às margens de rios, lagos, córregos, etc.; terrestre, cultivado na terra enxuta, mas o sabor de ambos é idêntico.

COMPOSIÇÃO → Vitaminas A, B, B 2, E, F, PP; – Sais Minerais: fósforo, cálcio, ferro, cobre, iodo, magnésio, zinco, enxofre, potássio, sódio

VALOR ENERGÉTICO → 22 calorias, em cada 100 g; 1 xícara, somente 5 calorias.

MODO DE CONSUMO → Pode-se comê-lo cru, em saladas, ou cozido, em sopas , suflês, – tem um forte sabor, devido à presença de iodo em sua composição, não se devendo desprezar os talos.

ATENÇÃO: Pessoas com problemas renais, NÃO devem consumir agrião…

INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS → Controla as taxas de açúcar do sangue; – o Potássio mantém a pressão arterial sob controle; – Tem ação antiinflamatória; – É diurético; – Combate: – o ácido úrico, – a tuberculose; – o raquitismo; – o cálculo renal; – a cistite; – os efeitos maléficos da nicotina; -a bronquite (quando misturado com o mel); – a falta de apetite

BRÓCOLIS

ORIGEM → Os brócolis, também conhecidos como brócolos, pertencem à mesma família da couve. É uma hortaliça originária da Itália e passou a ser conhecida no mundo todo, depois da emigração italiana no começo do século XX – há uma espécie de brócolis roxos, conhecida como brócolis-italianos.

COMPOSIÇÃO → Em 100 gramas, há: – Fibras, 1,5g; – Proteínas: 3,3g; – Cálcio: 400mg; – Fósforo: 70mg; – Ferro: 15mg; – Sódio: 41,7mg; – Potássio: 255,2mg; e mais: – Vitamina A; – Vitamina C (que se perde durante o cozimento); – Vitamina E; – Ácido Fólico; – Selênio; – Zinco; – Fibras.

VALOR ENERGÉTICO → 100 gramas de brócolis cru, fornecem 37 calorias. Cozido: 36 calorias

MODO DE COMPRAR → Os talos e as flores devem estar verdes-escuros e sem marcas de insetos – folhas amareladas indicam que estão velhos; – as flores devem estar fechadas; – não compre os que estiverem expostos ao sol, pois perdem a Vitamina C; – Depois de retirar as folhas e os talos mais duros dos brócolis, a quantidade aproveitável da verdura fica reduzida a cerca de 60% do total. Portanto, para servir 4 pessoas são necessários entre 750 g a 1 kg de brócolis (mais ou menos o equivalente a 2 maços).

MODO DE CONSUMIR → Pode ser o prato principal ou servindo de guarnição.

Cozidos: – em saladas, sopas e suflês;

Frios: – também em saladas, sozinhos ou misturados a outros legumes;

Refogados;

Gratinados no forno;

Recheio de tortas e pastelões

Pudins;

Bolos salgados.
MODO DE PREPARAR → Ao cozinhar coloque o brócolis em pouca água fervente com sal, e mantenha a panela destampada durante todo o cozimento. Procure lavar com muito cuidado, removendo as impurezas.
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS: 
– Folhas: São calmantes, purificadoras do sangue e ricas em minerais;
– Flores: O caldo é calmante, diurético, além de combater as inflamações do tubo digestivo.
– Flores e folhas: Têm efeito laxativo (devido às fibras que contêm), desintoxicante e regenerador celular;
– Ajuda a prevenir e a tratar a anemia;
– Protege contra o câncer de pulmão, do cólon e da mama, pois é rico em antioxidantes, betacaroteno e vitaminas C e E;
– Protege contra doenças do coração e catarata;
– Previne úlceras do estômago: recentes pesquisas de laboratório, mostraram que uma substância química presente no brócolis – sulforafane, elimina a bactéria “helicobacter pylori”, causa direta dos casos de úlceras e câncer do estômago – ela resiste a antibióticos usados para combatê-la.

FONTE
http://belezaesaude.com/couve/
http://www.cliqueagosto.com.br/
http://www.posto7.com.br/hortalicas
imagens: google