IMPOSTÔMETRO:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER --

ANÚNCIO:

ANÚNCIO:

sábado, 22 de agosto de 2015

Por que devo fazer alongamento?

Por que devo fazer alongamento?

post_google
O exercício alivia as tensões e prepara seus músculos para o treino
Os alongamentos são essenciais na rotina de quem faz atividades físicas porque evitam lesões, distensões e inflamações. Mas, realmente, não é fácil esticar o corpo se você está começando a treinar agora. A dificuldade e a dor desanimam, num convite a pular esta etapa da prática esportiva. “Mas vale a pena insistir, quando você estiver fazendo alongamentos de forma regular, os movimentos se tornarão mais fáceis e gostosos”, afirma a personal trainer do Dieta e Saúde, Valéria Alvim.

E nem precisa estar na academia para esticar o corpo. Vale fazer isso sempre que você sentir vontade: no trabalho, no carro ou assistindo à televisão, por exemplo. Antes de sair da cama, vale alongar o corpo, evitando cãibras e, no final do dia, o exercício alivia as tensões acumuladas. “Todas as pessoas podem aprender a fazer alongamentos, independente da idade e do condicionamento físico”, diz Valéria. Mas é importante respeitar a sua estrutura muscular e sua flexibilidade e seus limites pessoais.
A regularidade e o relaxamento são os fatores mais importantes para o alongamento, que deve ser feito lentamente e sem tensionamento. Assuma uma posição confortável e sustente-a relaxando o músculo. Permaneça nesta posição de 10 a 30 segundos. Não segure a respiração, inspire e solte o ar de forma lenta e controlada.
Efeitos do alongamento:
– Redução de tensões musculares;
– Relaxamento;
– Benefícios para a coordenação porque os movimentos se tornam mais soltos e fáceis;
– Aumento do arco de maleabilidade;
– Prevenção de lesões;
– Facilita atividades de desgaste como corrida, tênis, natação e ciclismo;
– Desenvolve a consciência corporal à medida que você focaliza a parte do corpo que está sendo alongada;
– Ativa a circulação;
– Ajuda no aquecimento à medida que eleva a temperatura do corpo;
– Ajuda a liberar os movimentos bloqueados por tensões emocionais.
No dia-a-dia, experimente estas posturas básicas, segurando cada uma delas por 20 segundos.

1. Em pé
– Segure um dos pés de encontro ao bumbum, alongando o quadríceps (parte anterior da coxa). Troque o lado.
– Pernas estendidas, leve o tronco à frente, como se fosse encostar as mãos no chão, alongando a parte posterior das coxas, pernas e coluna.
– Suba num degrau, apóie a metade dos pés e force os calcanhares para baixo, alongando a parte posterior das pernas.
– Estenda os braços à frente, entrelaçando os dedos e curvando as costas. Você irá alongar os braços e as costas.
– Passe os braços para trás do corpo, cruzando os dedos e alongando o peito.
– Puxe o pescoço para o lado, alongando o trapézio (músculo do pescoço). Troque o lado.
– Entrelace os dedos atrás da nuca e force a cabeça para baixo, encostando o queixo no peito. Você irá alongar a cervical.
– Gire a cabeça para um lado e depois para o outro lado.
– Eleve o braço para cima e para a lateral, alongando a lateral do corpo.
– Estenda um braço à frente e com a outra mão puxe o braço estendido para dentro (em cima do peito), alongando o deltóide (músculo do ombro).
– Estenda um braço à frente com a palma da mão voltada para frente e os dedos voltados para baixo. Com a outra mão, puxe os dedos para trás alongando o antebraço e bíceps (músculo do muque). Troque o lado.
– Estenda um braço com o dorso da mão voltado para frente. Com a outra mão, puxe os dedos para você, alongando o antebraço. Troque o lado.

2. Sentado
– Sente-se com as pernas afastadas. Leve o tronco à frente, coluna reta e braços estendidos, alongando a coluna e os músculos adutores (parte interna das coxas).

3. Deitado
– Deite de barriga para cima. Flexione as pernas e cruze uma sobre a outra. Segure a perna de baixo, puxando as duas pernas de encontro ao peito, alongando o glúteo (músculo do bumbum). Troque o lado.
– Descruze as pernas. Segure nos joelhos, trazendo-os de encontro ao peito, alongando a coluna.

Valéria Alvim
Personal trainer Dieta e Saúde
http://blog.dietaesaude.com.br/page/4

Exercícios aeróbicos aumentam a imunidade

Exercícios aeróbicos aumentam a imunidade

post_google
Exercícios quando praticados com regularidade e em ritmo moderado diminui as chances de infecções.
Através do sistema imunológico o corpo se defende de invasores como bactérias, vírus ou parasitas.
O nosso sistema imunológico trabalha constantemente, por exemplo:
 
– Quando fazemos um corte, muitos tipos de bactérias e vírus entram em nosso corpo através deste corte. O nosso sistema imunológico responde e elimina os invasores enquanto a pele cicatriza e sela o corte.
 
– Quando respiramos, inalamos milhares de germes (bactérias e vírus) que estão flutuando no ar. O nosso sistema imunológico lida com todos eles sem problemas. Mas pode acontecer de um germe passar pelo sistema imunológico e pegarmos um resfriado, uma gripe ou algo pior. São sinais visíveis de que o nosso sistema imunológico não conseguiu deter este germe. Mas depois de uns dias nós saramos porque o sistema imunológico foi capaz de eliminar o invasor depois de tomar conhecimento dele. Se o sistema imunológico não fizesse nada, jamais conseguiríamos sarar.
 
– Rejeição a um órgão transplantado, entre outros exemplos.
 
Vários estudos publicados no jornal do American College of Sports Medicine constatam que o exercício, quando praticado com regularidade e num ritmo moderado, diminui as chances da pessoa ter infecções, fortalecem o organismo e os sistemas de defesa.
Mas exagerar nos treinos e ultrapassar os limites pode causar o efeito contrário.
Atletas que fazem treinos muito puxados e desgastantes estão mais suscetíveis a gripes e problemas respiratórios.
 
A prática de exercícios e treinamentos intensos, onde não há uma recuperação adequada pode provocar depressão do sistema imunológico, tornando-o mais susceptível a processos infecciosos, como gripes.
 
A explicação para essa aparente incoerência está numa substância chamada glutamina, que se consome durante os treinamentos. É exatamente ela, a responsável pela alimentação dos leucócitos.
 
Para evitar que isto ocorra, o ideal é manter treinos moderados ou fortes (mas de forma adequada) e acompanhada por um bom profissional ou no caso de atletas que treinam pesado, verificar se há a necessidade de uma suplementação. Os aminoácidos de cadeia ramificada, conhecidos como “BCAAs”, são usados na produção de glutamina e podem suprir essa carência, diminuindo as chances de doenças respiratórias.
 
O exercício físico regular traz uma série de benefícios para o organismo, como redução de risco para doenças cardiovasculares e manutenção da massa corpórea em níveis seguros, além de ativar o sistema imunológico e estimular o sistema de defesa contra infecções, envelhecimento e câncer.
 
É muito importante manter uma atividade física, pois além de todos estes benefícios, você pode manter o peso ou emagrecer, fortalecer o corpo, aliviar tensões, diminuir o risco de doenças, depressão ou estresse, melhorar a postura e evitar muitos problemas de postura e coluna, retardar o envelhecimento e envelhecer com qualidade de vida, autoestima elevada, facilidade em executar as atividades do dia-a-dia, evitar problemas de articulações, musculares ou ósseos e muitos outros.
 
O ideal seria fazer exercícios aeróbios de 5 a 6 vezes por semana, exercícios resistidos de 3 a 5 vezes por semana e alongamentos. O programa de exercícios deve ser montado por um profissional de Educação Física, a partir de uma avaliação física individual.
Vale lembrar que, antes de iniciar uma atividade, é essencial fazer uma consulta com médico especializado em medicina esportiva para uma avaliação completa.
Valéria Alvim
Personal trainer Dieta e Saúde
http://blog.dietaesaude.com.br/page/4

Receita: Brigadeiro diet

Receita: Brigadeiro diet

post_google
Uma receita fácil, prática e livre de açúcar
Ingredientes:
200,0 gramas de leite em pó desnatado
1,0 xícara (chá) de água
1,0 colher (sopa) de margarina light sem sal
2,0 colheres (sopa) de adoçante forno e fogão
3,0 colheres (sopa) de achocolatado diet
0,5 xícara (chá) de leite longa vida desnatado
25,0 gramas de chocolate ao leite diet
50,0 gramas de chocolate granulado diet ou castanhas trituradas.

Modo de preparo:
Em um liquidificador bata o leite desnatado em pó, a água fervente, a margarina, o adoçante, o achocolatado e o leite desnatado.
Despeje o conteúdo batido em uma panela e mexa até iniciar a fervura.
Adicione o chocolate ralado e continue mexendo até soltar do fundo da panela.
Ao esfriar, coloque em copinhos para docinhos.
Salpique o granulado diet ou as castanhas trituradas.

Informações nutricionais por porção:
Rendimento da receita: 30 porções
Pontos por porção: 1 ponto
Calorias: 40 calorias
Carboidratos: 6,1 g
Proteínas: 2,5 g
Gorduras: 0,5 g
Nível de dificuldade: Fácil
Tempo de preparo: 30 minutos
http://blog.dietaesaude.com.br/receita/receita-brigadeiro-diet

Penne caprese com ricota

Penne caprese com ricota

post_google
Ingredientes
1,0 colher (sopa) de Azeite de oliva extra virgem
1,0 colher (café) de Sal refinado
1,0 colher (sopa) de Manjericão cru
0,5 unidade de Pimenta dedo de moça
1,0 unidade média de Tomate
1,0 colher (sopa) de Vinagre balsâmico Spoleto
250,0 grama de Macarrão penne Taeq
150,0 grama de Ricota light

Modo de preparo
Em um travessa, misture ao macarrão cozido com todos os ingredientes e mexa bem. Sirva quente ou frio.

Informações nutricionais por porção:
Rendimento da receita: 8 pegadores
Pontos por porção: 4 pontos
Nível de dificuldade: Fácil
Tempo de preparo: 30 minutos
http://blog.dietaesaude.com.br/receita/penne-caprese-com-ricota

Dor depois dos exercícios.

Dor depois dos exercícios.

post_google
Aprenda como agir para amenizar a dor.
Muitas pessoas reclamam de dor depois de uma atividade física, principalmente quem está iniciando. E muitas até desistem da atividade física, devido à dor que sentem. A dor é inevitável tanto para iniciantes como para atletas, mas o importante é saber até que ponto ela é considerada normal ou se está sendo prejudicial.
Se você é iniciante, se está sem praticar exercícios há muito tempo, qualquer atividade irá causar dores musculares no dia seguinte podendo se prolongar até mais dois dias. Isto porque o organismo precisa de um tempo para se adaptar a novos esforços. Mas se esta dor for muito forte, é sinal de que você precisa ir devagar, fazendo uma atividade mais leve e aumentar a intensidade aos poucos.

No sistema muscular, irá ocorrer micro rupturas nos grupos musculares solicitados durante o exercício e acúmulo de ácido láctico, gerando no organismo um processo de defesa que leva a um processo inflamatório. Além da parte muscular, você também irá sentir novas adaptações em outros sistemas como o metabólico, o cardiovascular, etc…
Se você fizer o mesmo treino por um determinado período (em média de 2 a 3 meses) o seu organismo irá se adaptar a intensidade do exercício feito e esta dor irá desaparecer aos poucos.

Mas sempre que você fizer exercícios físicos ou atividades físicas diferentes ou aumentar a intensidade dos exercícios que já está fazendo ou ainda ficar um tempo sem fazer os exercícios e voltar aos mesmos proporcionando novos estímulos ao corpo, esta dor aparecerá.
Os treinos mais intensos darão maior probabilidade a que isto aconteça, por isso os atletas também aprendem a conviver com a dor e evitar lesões. Não é preciso sentir dor para ter benefícios ou um resultado melhor, aliás, se você sente dor durante o exercício é sinal de que está forçando além do que deve ou que já é hora de parar e diminuir o ritmo ou a intensidade do exercício.
Agora, se você quer melhorar a sua performance, aumentar a massa muscular e melhorar o seu condicionamento cardiorrespiratório, deverá trabalhar com limites e treinos mais intensos podendo causar estas dores musculares nos dias seguintes ao exercício executado.
Se você treinou e sentiu dor no dia seguinte, procure treinar outros grupos musculares ou fazer atividades com menor intensidade para não piorar a situação. Por isso é muito importante fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercícios e conhecer exatamente o seu nível de condicionamento, trabalhando de forma adequada com a intensidade certa que possa lhe proporcionar melhora no rendimento sem causar lesões, respeitando o seu limite.
Fazer compressas de gelo, que é um processo antiinflamatório, pode ajudar a diminuir a inflamação nos músculos. Faça pelo menos 2 vezes por dia por 10 minutos.
Algumas pessoas precisam tomar antiinflamatório, mas nestes casos é essencial que um médico faça a prescrição do melhor medicamento para você.
Não esqueça de fazer muito alongamento antes e depois dos exercícios, pois estes também ajudam a relaxar a musculatura depois do esforço.
Respeite o período de repouso não treinando o mesmo grupo muscular em dias seguidos ou alternando atividades intensas com atividades moderadas em dias seguidos.
Se estiver com muita dor não treine. Descanse! Se a dor persistir, procure um médico especialista em medicina esportiva.
Valéria Alvim
Personal trainer Dieta e Saúde
http://blog.dietaesaude.com.br/page/3

Gorduras que ajudam e prejudicam o coração

Gorduras que ajudam e prejudicam o coração

post_google
Embora muitas vezes a gordura seja vista como vilã, ela também deve estar presente em uma alimentação saudável.
A gordura é responsável pela produção de alguns hormônios e também pelo transporte de vitaminas lipossolúveis, como é o caso da Vitamina A (vital na manutenção de nossa visão), Vitamina D (essencial para absorção de cálcio e para a formação dos ossos), Vitamina E (protege as membranas de células dos danos de oxigenação) e K (ajuda na coagulação sanguínea).
Existem gorduras que fazem mal ao coração e aumentam o risco de problemas cardíacos. Por outro lado, alguns tipos de gordura ajudam a proteger nosso coração.

Para entender melhor, é fundamental conhecer um pouquinho sobre essas gorduras:
Colesterol está naturalmente presente no nosso sangue, é responsável pela produção de hormônios. No entanto, níveis muito altos de colesterol aumentam o risco de doença cardíaca. Como o colesterol é uma espécie de gordura, ou seja, não mistura com líquidos, o colesterol não se dissolve no sangue. Sendo assim, para cumprir suas funções é necessário se unir a certas proteínas, denominadas lipoproteínas, que conhecemos como HDL e LDL.
HDL é o “bom” colesterol: retira o excesso das gorduras da célula, devolve para o fígado, onde será eliminada via intestino.
LDL é o “mau” colesterol: ajuda as gorduras entrarem nas células, então a célula utiliza o que precisa, e o restante é acumulado nas paredes dos vasos sanguíneos, sob a forma de placas, prejudicando a circulação do sangue.
Os níveis ideais de colesterol no sangue são:

* Colesterol Total – abaixo de 200mg/dL de sangue
* HDL – acima de 35mg/dL de sangue
* LDL-abaixo de 130mg/dL de sangue
 
As gorduras que devem ser evitadas são as gorduras saturadas, que estão associadas ao aumento do LDL. Esse tipo de gordura está presente em alimentos de origem animal, sendo importante diminuir a ingestão de manteiga, leite integral, queijos gordurosos, frango com pele e carnes gordas. A gordura trans também deve ser evitada, já que é capaz de reduzir o bom colesterol e aumentar o mau colesterol. É encontrada em diversos alimentos industrializados como bolachas, balas, doces, gorduras hidrogenadas e algumas margarinas.
Também encontramos as gorduras boas, que são do tipo insaturada e estão divididas em dois grupos: monoinsaturada e poliinsaturada.
A gordura monoinsaturada, que pode ser encontrada em óleos vegetais, como o azeite de oliva, óleo de canola, também em oleaginosas (nozes, amêndoas, castanhas) e abacate ajuda a diminuir o LDL sem alterar o HDL, diminuindo a chance de formação de placas de gorduras nas coronárias.

 
Já as gorduras poliinsaturadas ajudam a diminuir os níveis de LDL e estão dividas em dois grupos principais: ácido alfa linoleico, que é conhecido como ômega-3 (encontrado principalmente nos vegetais verde-escuro e em óleos de peixe como salmão, bacalhau, cavala, atum) e ácido linoleico, conhecido como ômega 6 ( encontrado em óleos vegetais como de linhaça, canola, soja, milho, nozes, gergelim). É fundamental ingerir alimentos fontes de ômega 3 e 6, pois nosso organismo não os produz.

 
Como explicado anteriormente, a gordura deve sim fazer parte da nossa alimentação diária. Mas, para que seja fornecida de forma adequada é importante que a quantidade de gordura total de nossa alimentação represente de 25 a 35% do nosso valor energético total, sendo que os ácidos graxos monoinsaturados devem representar menos ou 20% dessa quantidade de gordura, os ácidos graxos polinsaturados menos ou igual a 10%, os ácidos graxos saturados menos ou igual a 7%, os ácidos graxos trans menos ou igual a 1% e o colesterol menos que 200 mg/dia.

Gabriela Mendes Taveiros
Nutricionista Dieta e Saúde
http://blog.dietaesaude.com.br/alimentacao/gorduras-que-ajudam-e-prejudicam-o-coracao

Aprenda como controlar a gula

Aprenda como controlar a gula

post_google
8 passos para deixar a gula longe da dieta
Comer e beber mais que o ideal pode provocar um grande prazer, no entanto, pode ocasionar resultados não tão agradáveis à saúde, como o sobrepeso e até a obesidade.
Aprenda dicas de como evitar os exageros à mesa:
Fome ou vontade de comer?
Nesse primeiro momento é importante conhecer e saber diferenciar quando se está com fome ou vontade de comer. Então lembre-se, a fome está relacionada à necessidade fisiológica do organismo e reflete a diminuição da energia disponível para o corpo. Com uma refeição adequada ela é substituída pela sensação de saciedade. A vontade de comer, ao contrário da fome, não é uma necessidade do corpo e está ligada muitas vezes as emoções.
Não leve a ansiedade para a mesa
Com a vida tão agitada é normal pensarmos em diversas coisas durante a refeição, no entanto, a ansiedade que pode ser gerada durante a refeição pode leva-lo a compulsão alimentar. Por isso, ao se sentar a mesa seu pensamento deve estar voltado totalmente para a alimentação, causando a conscientização daquilo que você está consumindo.
Não coloque as travessas de comida na mesa
Para as refeições feitas em casa, a dica é não colocar as travessas ou panela de comida sobre a mesa, não induzindo a vontade de comer e repetir o prato ou os alimentos que você mais gostou.
Coma uma salada de entrada
E que tal começar sua refeição por um belo prato de salada? Essa atitude irá proporcionar uma maior saciedade, não deixando você ficar com tanta fome para encarar o prato principal.
Coma sempre devagar
Mastigar mais os alimentos é um tática excelente para comer menos. Comendo devagar, nos sentimos saciados com uma menor quantidade de alimentos e consecutivamente com uma menor quantidade de calorias.
Escove os dentes
Esse simples hábito ajudará a manter os doces longe das refeições. Escovando os dentes, você acaba determinando ao seu corpo que a refeição terminou sem que haja o consumo daquele famoso docinho após o almoço ou jantar.
Ocupe sua mente
Na dúvida se é fome ou não, desvie o foco da comida de modo que a refeição seja realizada na hora certa. Nesse meio tempo que tal ler um livro ou revista, conversar com um amigo, ver um filme, arrumar o guarda roupas ou praticar uma atividade física?
Chazinho calmante
Se a necessidade de comer não passar, opte por chás calmantes como o de melissa ou de camomila. Lembre-se que a fome pode estar ligada à ansiedade e esses chás ajudarão a controlá-la.
Bruna Pinheiro
Nutricionista Dieta e Saúde
http://blog.dietaesaude.com.br/alimentacao/aprenda-como-controlar-a-gula

Comer para a saúde do coração!

Comer para a saúde do coração!

facebook_link
Conheça os benefícios de alguns alimentos para o seu coração.
Veja como alguns alimentos podem ser aliados do seu coração e coloque-os em sua alimentação diária para desfrutar de todos os benefícios:
 
Alho: tem potente ação no controle da pressão arterial. Pesquisas mostram que o alho inibe uma enzima chamada angiotensina que tem papel vasoconstrictor. Com essa enzima inibida os vasos são mais relaxados e o sangue circula melhor.

Suco de uva: As uvas escuras são ricas em polifenóis que melhoram a elasticidade dos vasos e ajudam e diminuir a formação de placas de colesterol. Estudos mostram que o consumo de 200ml ao dia tem relação inversa com doenças do coração.
 
Romã: Pesquisa feita em Israel mostrou que o consumo de suco de romã, devido aos seus antioxidantes não só controlou a formação de placas de colesterol, mas também reduziu o entupimento das artérias. A sugestão de consumo é de 250ml ao dia do suco.


 
Amêndoas: são fontes de gorduras insaturadas, um tipo de gordura que no fígado não é transformada em colesterol. Também tem fito-esteróis que diminuem a absorção do colesterol da dieta. Inclua com opção de lanche da manhã ou da tarde.

 
Peixes: o ômega 3 presente no salmão, atum ou sardinha são fundamentais para a saúde cardiovascular. Esse tipo de gordura do bem diminui os níveis de triglicérides, aumenta os níveis de HDL e diminui o risco de arritmias. Além de ser anti-inflamatório.


Cacau: é rico em flavonoides, antioxidantes que diminuem a formação de placas de colesterol ao mesmo tempo que melhoram a flexibilidade dos vasos. Assim seu consumo está relacionado a redução da pressão arterial e também a menor risco de infarto. Use 30g do chocolate amargo ao dia ou use o cacau em pó em bebidas ou frutas.
 
Laranja: é rica em um tipo de fibra solúvel, a pectina. Essa fibra reduz a absorção do colesterol ingerido na dieta e diminui seu acumulo nas veias e artérias. Também é boa fonte de potássio, mineral importante no controle da pressão arterial.

 
Bruna Pinheiro
Nutricionista Dieta e Saúde
http://blog.dietaesaude.com.br/alimentacao/comer-para-a-saude-do-coracao

Preguiça do final de semana dobra as calorias da dieta

Preguiça do final de semana dobra as calorias da dieta

post_google
Calorias em excesso e poucos nutrientes põem todo o esforço anterior a perder
Durante a semana, nada te faz cair em tentação e você segue o cardápio da dieta à risca. Tanto esforço e determinação, no entanto, não se aplicam aos sábados e domingos. Afinal, os dias de descanso sugerem que até a atenção debruçada sobre os alimentos merece uma folga. Os direitos que você dá a si mesmo, no entanto, podem resultar em muitas calorias e prejudicar a conquista do objetivo final.
Antes de tudo, é importante lembrar que sua meta de emagrecimento não precisa ser atingida à base de um menu com baixíssimas calorias, conforme explica a responsável pela equipe nutricional do Dieta e Saúde, Roberta Stella. Ao seguir um cardápio balanceado, você não sente tanta necessidade de extrapolar nos finais de semana. Conforme sexo, idade, estatura, peso e nível de atividade física, você deve seguir um cardápio especialmente voltado para o seu perfil. “Cada pessoa, de acordo com suas características particulares, apresenta uma determinada quantidade calórica para manter o peso” , afirma Roberta.
Já os interessados em emagrecer, precisam reduzir as calorias do cardápio que seguem para manter o peso. Ou seja, a quantidade de calorias indicada para a eliminação de peso está associada à quantidade calórica que a pessoa precisa para mantê-lo. “Obtendo essa necessidade calórica para a manutenção do peso, é feita uma restrição de calorias. Normalmente, há uma diminuição de 500 calorias diárias para iniciar a eliminação”, exemplifica a especialista.
Ainda de acordo com a nutricionista, se uma pessoa precisa de 2.100 calorias para manutenção do peso, uma dieta de 1.600 calorias diárias será indicada para eliminar meio quilo por semana. Assim, derrubamos a idéia de que, para emagrecer, é necessário seguir uma alimentação altamente restrita, com 1.200 calorias ou menos , reforça. Ela afirma que alguns casos de grande excesso de peso pedem uma dieta mais restritiva, mas alerta que a restrição calórica deve ser gradual.
Escapulidas que somam muitas calorias
Mudar o cardápio aos finais de semana com a idéia de recompensa é uma atitude enganadora. Muita gente confunde variedade com excesso de calorias, alerta Roberta. Ela afirma que uma alimentação equilibrada engloba variedade de alimentos e sabores, deixando a monotonia de lado. Assim, você não precisa se esbaldar nos dias que encerram a semana.

Ao deixar toda a consciência do menu saudável de lado para se deliciar nos fins de semana, você acaba subestimando a importância que os alimentos têm para a sua saúde e, além disso, da influência deles no processo de emagrecimento. Optando por produtos refinados, ricos em gorduras, doces e bebidas alcoólicas, por exemplo, é de se esperar que o excesso de calorias ocorra, constata a especialista do Dieta e Saúde.
Para provar que os deslizes não são nada convenientes ao seu projeto de emagrecimento, a nutricionista montou um cardápio com exemplos de alimentos que costumam fazer parte dos dias de folga de quem está de dieta. Confira o resultado excessivo de calorias.
Café-da-manhã
– 1 unidade de pão francês
– 2 colheres (sobremesa) de manteiga
– 1 copo de leite integral
– 2 colheres (sopa) de achocolatado
Total: 525 calorias

Almoço
– 4 colheres (sopa) arroz branco
– 1 concha média de feijoada
– 2 colheres (sopa) de farofa
– 2 bolas de sorvete de morango
Total: 745 calorias

Jantar
– 1 pedaço de pizza de calabresa
– 1 pedaço de pizza de frango com catupiry
– 2 tulipas de chope
– 1 taça de mousse de limão
Total: 1.113 calorias

Total do dia: 2.383 calorias
Estragos além das calorias
Se os problemas girassem apenas em torno do excesso de calorias ingeridas, talvez seu maior prejuízo fosse ver o ponteiro da sua balança estagnado. O fato é que as escapadinhas de final de semana representam mais do que isso. Os exageros podem resultar em aumento do consumo de ingredientes perigosos à saúde.
Grandes quantidades de sal provocam acúmulo de líquidos no organismo e podem levar ao desenvolvimento de hipertensão. Já a gordura saturada, leva ao aparecimento de doenças cardiovasculares. Produtos refinados são pobres em fibras (responsáveis pela sensação de saciedade) e de nutrientes, principalmente, vitaminas e minerais , aponta.
Roberta lembra também das bebidas alcoólicas que, além de calóricas, não oferecem nutrientes que justifiquem o consumo. A exceção fica por conta do vinho, quando consumido com moderação, como uma taça por refeição.
Outro ponto destacado por Roberta Stella sobre os prêmios calóricos diz respeito à repetição de tais excessos. Cometer um excesso pode ser a partida para retomar os velhos hábitos alimentares, levando ao ganho de peso novamente , frisa a especialista.

Para emagrecer com sucesso, a nutricionista garante que não é preciso exagerar na determinação. O segredo revelado por ela é variedade e bom senso. Faça escolhas inteligentes, simplifica. Se for à pizzaria no sábado à noite, opte por um pedaço de pizza da sua preferência.
Abaixo, ela dá mais exemplos de como você pode reduzir as calorias consumidas no final de semana, sem deixar seus programas favoritos de lado.
Café-da-manhã
– 1 fatia de pão de forma integral light
– 1 pote de iogurte desnatado
– 2 colheres (sopa) de granola
Total: 214 calorias

Lanche da manhã
– 1 unidade de maçã
Total: 85 calorias

Almoço
– 2 colheres (sopa) cheias de arroz
– 1/2 concha de feijão
– 1 filé médio de peito de frango grelhado
– 2 colheres (sopa) de legumes cozidos
– salada de alface à vontade
– 1/2 unidade média de mamão papaya

Total: 335 calorias
Lanche da tarde
– 1 unidade de barrinha de cereais
Total: 100 calorias

Jantar
– 1 copo de suco de abacaxi com adoçante
– 1 fatia de pizza de calabresa
Total: 434 calorias

Total do dia: 1.168 calorias
http://blog.dietaesaude.com.br/alimentacao/preguica-do-final-de-semana-dobra-as-calorias-da-dieta